Contribuições Teóricas Diversas


Outros Autores: Para os que dizem que Reich está ultrapassado deve ser uma surpresa ver tantos estudos e pesquisas tanto no campo acadêmico como fora da academia. Estamos só começando a relacioná-los!


 


VIGOTSKY, Lev Semenovich. A formação da mente: o desenvolvimento dos processos psicológicos superiores;org. Michael Cole...[et al]; trad. José Cipolla Neto, Luis S. Menna Barreto, Solange C. Afeche.7ª, Ed,SP:Martins Fontes, 2007, pg XXVI.

Vigotsky estendeu o conceito de Engels de mediação homem/natureza na interação homem-ambiente pelo uso de instrumentos, ao uso de signos. "Os sistemas de signos (a linguagem, a escrita, o sistema de números), assim como o sistema de instrumentos, são criados pelas sociedades ao longo do curso da história humana e mudam a forma social e o nível de seu desenvolvimento cultural. Vigotsky acreditava que a internalização dos sistemas de signos produzidos culturalmente provoca transformações comportamentais e estabelece um elo de ligação entre as formas iniciais e tardias do desenvolvimento individual."

BENEDETTI, Ieda – Graduada em Psicologia pela UEM.Atua com psicologia clínica e escola, especialização em Psicossomática; no MBA abordou Gestão com Pessoas; no mestrado em políticas públicas,/UNESP, dissertou sobre Avaliação do ensino Superior; no doutorado/UFMS, temática – Transtornos de Déficit de atenção com ou sem Hiperatividade. Transformações do mundo contmporâneo e sua influência na formação da subjetividade humana.

Leia: BENEDETTI, Ieda. A produção do TDA/H: Transtornos de Déficit de Atenção com ou sem Hiperatividade. São Paulo: Scortecci, 2009. Só para ver se te interessa ler o livro, veja o que está escrito na contracapa:
"A autora busca apresentar as bases filosóficas, sociais e epistemológicas que se relacionam com o surgimento do quadro do TDA/H, demonstrando o processo de construção deste conceito e de sua contaminação ideológica e comercial, imersa em uma sociedade organizada em torno do capital.

Demonstra a conceituação hegemônica sobre o transtorno e apresenta a visão dos críticos desse posicionamento teórico. Resgata a dimensão humana e subjetiva do sujeito, por meio de relatos de casos clínicos, trazendo à tona a discussão a respeito da venda de medicação e dos gastos com laudos e consultas. Discute a necessidade de evolução da família e da escola para acolher esse sujeito contemporâneo e suas transformações sociais ligadas à sua constituição psíquica.
Apresenta a necessidade do questionamento crítico diante das dimensões epidêmicas que ocorrem no quadro do TDA/H, culpabilizando o sujeito, muitas vezes uma criança, em detrimento das responsabilidades contidas nas famílias e instituições de ensino.
Resgata, ainda, a importância da percepção de conteúdos subjetivos e emocionais para além dos sintomas clínicos, analisando individualmente cada um dos sujeitos diagnosticados, questionando a uniformização do diagnóstico e do reducionismo da solução medicamentosa."

ANCONA-LOPES, Lilia - Formada em Fonoaudiologia pela PUC/SP, Mestre em Distúrbios da Comunicação na Universidade de Syracure/NY, Doutora em Psicologia Clínica pela PUC/SP, Psicodramatista formada pela Role-Play Pesquisa e Aplicação, realizou Curso de Especialização de Operadores Orgonômicos pela Sociedade Brasileira de Orgonomia e Vegetoterapia. Prioriza o diálogo inderdisciplinar.
Leia: A Clínica Fonoaudiológica e a Psicologia Clínica. São Paulo, Editora Plexus, 2004.

ABERTINI,Paulo. Formado em Psicologia, é Professor-Doutor do Instituto de Psicologia da Universidade de São Paulo. Responde pela disciplina "A Psicologia de Wilhelm Reich" desde 1986. Como Albertini tem pensado e pesquisado Reich com diversos estudiosos, resolvi colocá-lo mesmo o livro sendo de 1994.
Leia: Reich - História das idéias e formulações para a Educação. São Paulo: Ágora, 1994.

MOVIMENTO OCULAR - O uso dos movimentos oculares e da lanterna com ou sem cores no Segmento Ocular durante o trabalho psicoterapêutico reichiano é uma prática constante e há bastante tempo.
Leia Ernani Eduardo Trotta

MATTHIESEN, Q. Sara. Organização bibliográfica da obra de Wilhelm Reich - Bases para o aprofundamento em diferentes áreas do conhecimento. São Paulo: Annablume; Fapesp, 2007.
Matthiesen, Q. Sara – Formada em Educação Física pela UNESP, Mestre em História e Filosofia pela PUC/SP, Doutora pela UNESP. Pesquisadora há dez anos do pensamento Reichiano.

Leia: A Educação em Wilhelm Reich – Da Psicanálise à pedagogia econômico-sexual. São Paulo, Editora UNESP, 2005